• Elatus

    Testado e aprovado por quem mais entende: o Produtor | Amplo controle para as doenças da Soja

  • Cypress Manejo
  • Elatus Manejo

O governo do Rio Grande do Sul (RS) proibiu hoje (10) a venda de mais três marcas de leite. São elas: Goolac, Hollmann e Só Milk, fabricadas pela VRS Indústria de Laticínios, mesma empresa do leite Latvida, que também está proibido.

O Ministério Público do Estado (MP-RS) já havia proibido a venda das marcas Líder, Latvida, Mu-mu e Italac. devido à investigação sobre adulteração de leite por parte de transportadores. A suspensão é uma medida preventiva.

Precipitações podem não se confirmar, mas mercado assumiu risco.

Pressionados pela previsão de chuva para a Argentina e o Sul do Brasil, os contratos futuros da soja fecharam os negócios no lado vermelho da tabela pela primeira vez desde a quinta-feira passada (31). No entanto, as desvalorizações não chegaram a dois dígitos para os vencimentos de maior liquidez na Bolsa de Chicago. A sessão desta quarta-feira (06) terminou com o contrato mar/13 cotado a US$ 14,8750 (-8 pontos) e o mai/13 valendo US$ 14,7725 (-8,5 pontos). Além dos mapas um pouco mais favoráveis, a queda do milho – consequência da demanda mais fraca – também pesou sobre os preços da oleaginosa.

Relatório de exportação com números robustos não garantiu ganhos.

Em uma semana sem novidades significativas no campo dos fundamentos, restava sobre o relatório semanal de registros de exportação a esperança de combustível para novas altas. Os números do USDA vieram bem acima do esperado pelos analistas, mas como o mercado nada tem de racional, desta vez foi o setor financeiro que neutralizou os números da demanda.

Investidor segue apoiado nas incertezas climáticas e na retomada de fôlego do Dow Jones e do S&P500.

Em cima do muro. Assim foi o pregão da soja nesta terça-feira (5) na CBOT, que ampliou os ganhos apenas no fim do dia. Sem mudança significativa nas previsões climáticas no curto prazo, os investidores preferem esperar por novidades, influenciados também pela proximidade do relatório de oferta e demanda de fevereiro, que o USDA divulga na sexta-feira (5). Se o último dia da semana é ingrato para vermos a reação dos preços às mudanças no quadro da soja, para quem está no Brasil é ainda pior, pois além da pausa do fim de semana há o feriado que só termina na quarta-feira de cinzas.